Zé Urbano

Loading...

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

A frase do ano

A FRASE DO ANO DO MÉDICO DRÁUZIO VARELLA....... "No mundo atual está se investindo cinco vezes mais em remédios para virilidade masculina e silicone para mulheres do que na cura do Mal de Alzheimer. Daqui a alguns anos, teremos velhas de seios grandes e velhos de pinto duro, mas eles não se lembrarão para que servem".

sábado, 17 de outubro de 2009

Diversidade

Mora em mim
tanta gente diferente...
gente bacana e ruim.

Vez em quando
o pau quebra!!
Ê gente boa,
não briguem assim!!

Dificil é saber
quem aflora.
Quando dou por mim...
eles foram embora!

Coração Marinheiro

(letra de música)

Quando penso que a vida
já me disse a que veio
ela vem e surpreende
meu coração marinheiro.

Sei que o amor é capaz
de mudar o mundo inteiro
quem sou eu p'ra não chorar
e querer ser feliz primeiro.

Quanto tempo a ilusão
me fez sonhar com teu jeito
foi fazer meu coração
te esperar tão faceiro.

Hoje não quero mais
escutar nenhum conselho
de que amar dói demais
vou viver sem receio.

Tanto faz

As estrelas se escondem
E o brilho se desfaz.
Nada mais é como era ontem
e agora vive-se no "tanto faz!".
O desenho toma diferentes formas.
O repertório já não é o mesmo.
As condutas têm outras normas
e o que é bom ganha desprezo.
O espelho está no chão, quebrado...
até ele já não aguenta mais.
E o que antes recebia aplauso...
agora, tanto faz...

(poesia de minha filha Jade)

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

sábado, 29 de agosto de 2009

Deus dos meninos

(letra de música)
Menino de rua que alegria é essa não tenha pressa teu tempo é maior
Menino de rua tu tens a calçada que não custa nada é só te deitar. menino de rua ve se não reclama a rua é tua cama o que queres mais. se tens liberdade de ir onde quiseres o que mais me pedires não posso te dar //// Menino de rua a vida é teu brinquedo que dá até medo da gente brincar; Menino de rua tenha consciência de toda clemência que o mundo te dá; o que queres mais se te dei o mundo a chuva e o frio pra te consolar; Menino de rua teu teto é o céu o chão é teu leito queres amor e respeito pra que? Pra que ?

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

O mendigo e a moeda

Mendigo Mendigo Mendigo escute o que eu lhe digo quando pegar a moeda diga obrigado por essa merda // Você tem que agradecer pois o doutor tem pena de você ( 2 x)///// Nunca reclame da sua vida ela é uma moleza você fica na calçada que é sua cama sua mesa // Nunca pense na solidão de não ter uma moradia a sua casa de papelão é o palácio da hipocrisia / a hipocrisia de um País que não divide com os seus as riquezas que produz são pros meus filhos Amém pros meus/// Mendigo Mendigo Mendigo escute o que eu lhe digo quando pegar a moeda diga obrigado por essa merda ///// E não adianta ficar pensando em mudar a situação pois o sistema quer você pedindo deitado aí no chão/// e se a bolsa de valores roubou os valores seus a solução pras suas dores é ir mais cedo falar com Deus..........

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Um mundo como esse (letra de música)

Já pensou num mundo como esse

em que o barco não virasse/

que não fosse dá ou desce

e a gente nunca mais sofresse ( tão sós )

SILICONE CELULÓIDE CELULITE CELULAR

Se a bala não mais se perdesse

e se todo mundo se gostasse

se a terra não mais nos comesse

que bom seria um mundo como esse ( sem mais )

SILICONE, CELULÓIDE, CELULITE, CELULAR...

E se a palavra não emburecesse

e da mentira não mais precisasse

e a criança nunca mais chorasse

e de fome e frio não mais morresse ( tão só )

SILICONE, CELULÓIDE, CELULITE, CELULAR .....

E quem quiser um mundo como esse

se nada fizer nada acontece

que fique esperando que um dia desses

tudo mude pra quem merece

SILICONE,CELULÓIDE,CELULITE, CELULAR ..............


Essa música está postada em:

http://recantodasletras.uol.com.br/autor.php?id=28106

Mi unicornio azul ( Silvio Rodriguez)

Mi unicornio azul ayer se me perdio
Pastando lo deje y desaparecio
Cualquier informacion bien la voy a pagar
Las flores que dejo no me han querido hablar

Mi unicornio azul ayer se me perdio
No se si se me fue, no se si se extravio
Y yo no tengo mas que un unicornio azul
Si alguien sabe de el le ruego informacion
Cien mil o un millon yo pagare
Mi unicornio azul se me ha perdido ayer, se fue

Mi unicornio y yo hicimos amistad
Un poco con amor un poco con verdad
Con su cuerno de anis excava una cancion
Saberla compartir era su vocacion

Mi unicornio azul ayer de me perdio
Y puede parecer acaso una obsecion
Pero no tengo mas que un unicornio azul
Y aunque tuviera dos yo solo aquel
Cualquier informacion la pagare
Mi unicornio azul se me ha perdido ayer, se fue

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Soneto Hamsteriano


Fuck fuck fuck fuck fuck…

Fuck fuck fuck fuck fuck…

Fuck fuck fuck fuck fuck…

Fuck fuck fuck fuck fuck…


Fuck fuck fuck fuck fuck…

Fuck fuck fuck fuck fuck…

Fuck fuck fuck fuck fuck…

Fuck fuck fuck fuck fuck…


Fuck fuck fuck fuck fuck…

Fuck fuck fuck fuck fuck…

Fuck fuck fuck fuck fuck…


Fuck fuck fuck fuck fuck…

Fuck fuck fuck fuck fuck…

Fuck fuck fuck fuck fuck…

quarta-feira, 15 de julho de 2009

LIVRO


Um livro fechado é um teatro vazio,

um quadro sem pintor,

uma rosa sem espinho,

uma casa nova sem morador.


Um livro aberto é um teatro lotado,

asas abertas de um Condor,

onde tudo pode ser vivido,

vida e morte, amor e dor.


O livro que eu te empresto

é uma história minha que te dou,

na capa já vai escrito,

um pouco do que eu sou.

AFIADOR

Qual uma traça histérica

rasgaste minhas vestes

e essa histeria genética

não me diz a que vieste.


Chegaste assim troglodita

espetando minha cava

com essa adaga maldita

que rasga a pele e me escava.


E o aço que me queimava

queria meu sangue que esvaía,

e a tua boca gargalhava

fazendo de mim tropelia.


Mas, num momento distraída

olhaste a lâmina tão esguia,

roubei-te a faca tão temida

e sujei de sangue a esquadria.

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Amor te A morte Amor te amor

Tem morte morrida, morte matada.
Tem morte sofrida, morte chorada.
Tem morte furada, morte por nada.
Tem morte contida, morte cantada.

Tem morte bonita, morte maldita.
Tem morte aflita, morte que grita.
Tem morte indecisa, morte que alisa.
Tem morte que é cinza, morte Maisa.

Tem morte que afronta, morte que aponta.
Tem morte que espanta, mortes tantas.
Tem morte chinfrim, morte assim.
Tem morte ruim, morte de mim.

Tem morte que ensina, a vida é uma sina.
Tem morte que canta, a vida é tão bela.
A morte te avisa que a vida é precisa.
A morte nos leva pois a vida é dela.

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Zangão vadio

Passei por todos os perigos.
Pisei em tanta merda no caminho.
Botei nos "is" todos os pingos.
Deixei tu me pisares... de mansinho...

Achei que tinha tudo comigo
e depois de encher o meu bacio
parei de olhar o meu umbigo
e prestar mais atenção no teu cio.

De nada valeu meu desvario
pois chorei de dor o meu castigo
de ver-te passar como um rio
ao encontro do mar, de um abrigo.

Agora sou um zangão vadio
(não espero nada da flor!)
a procura de um favo vazio
para encher do mel do amor!

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Caí ali e...Bam!
(inspirado no comentário
da Silvana sobre "Hermafrodita")


Sou feio e daí?
Feio só por fora,
mas um doce...açaí
da beleza que aflora!
O que importa a feiúra
se o meu tempo não demora
e não partilho da usura
que ao meu lado se assenhora?
Sigo (feio) o meu caminho
e mesmo assim ela implora
um pouco do meu carinho...
Quem ama o feio o belo adora!

quinta-feira, 4 de junho de 2009

Hermafrodita
Bolinei-me
e engravidei;
vieram gêmeos,
um era parte de mim,
o outro nem sei...
PASSARINHO

Eu sigo em versos
o meu caminho
e de boca aberta eu peço
que chegue logo em meu ninho
teu verso louco, disperso
pra me fazer um carinho.
De vez em quando até rezo
prá não ficar só... passarinho...
com minhas asas sem nexo
gritando... louco...sozinho
esperando com meu bico deflexo
prá te beijar de biquinho!

quinta-feira, 28 de maio de 2009

O BRONZE QUE VALE OURO
(para minha amiga Silvana)

Foi o mar que me trouxe
aquela linda conchinha
Veio serôdia, cor de ameixa
Veio toda se achando minha.

Fechadinha no seu mundo
Sem nunca ter visto o sol
Tirei-a do barro imundo
Lavei-a todinha com amor ancil.

De repente abriu-se toda
Olhou-me com um olhar coral
Foi logo dizendo:trago encomenda
das ondas do mar azul,

(Entregou-me uma pérola
que reluzia luz insana)
quem te mandou foi ela,
a menina bronze... Silvana!

sexta-feira, 22 de maio de 2009

HOMEM, DIGO; TOLO!

NÃO É QUE VIESTE BEM LOUCA,
ME ATROPELANDO, MEIO SEM NOÇÃO!
BEIJASTE LOGO MINHA BOCA
E EU MENDIGO, CHAPÉU NA MÃO.

E ESSE BEIJO QUE ME DESTE
MEIO ASSIM DE SOPETÃO
QUEBROU AO MEIO O ALICERCE
QUE SUSTENTAVA O MEU CORAÇÃO.

ESSE CORAÇÃO MENDIGO
TAPADINHO COM JORNAL
ESPERANDO UMA ESMOLA
DOS PASSANTES...NO ARREBOL.

POBRE CORAÇÃO PARTIDO
QUE SONHOU DE ANTEMÃO
COM ESSE BEIJO SAÍDO
DO FUNDO DA TUA EMOÇÃO.
Poesia que meu amigo Chaplin fez para minha filha Jade.

NO DIA EM QUE...

No dia em que aprenderes a sorrir...
do norte virá uma estrela incandescente trazendo um ser iluminado
que depositará a teus pés ouro, incenso e mirra.

No dia em que aprenderes a sorrir...
todas as flores se abrirão numa primavera eterna e perfumada e todos
os pássaros farão ninho no teu coração, e as abelhas fruirão do
néctar brotado dos teus lãbios de carmim.

No dia em que aprenderes a sorrir...
Um anjo abrirá o Grande Portal e libertará todos os tristes, os desamados,
os desiludidos, para que vejam no teu rosto o amanhã de plena felicidade.

No dia em que aprenderes a sorrir...
Eu poderei olhar, sem que percebas, no brilho úmido dos teus grandes
olhos e saberei que ali está uma mulher feliz!

No dia em que aprenderes a sorrir...
Verás descendo de uma cruz um homem que te abraçará e te beijando
a testa docemente dirá: Eu te amo! Sorri pra mim!

G. Chaplin

sexta-feira, 8 de maio de 2009

PLATÔNICO


Nem o platão sabia
do amor daquela menina
que um dia viria
a encontrar sua sina.

Muito menos sabia o amado,
(inocente, na ocasião)
pois não olhava para o lado
para ouvir o coração

da menina enfeitiçada
por aquele amor na contramão
do tempo, da estrada...
que nos leva ao coração.

terça-feira, 5 de maio de 2009

RECEITA DE AMOR

Junte um balde de paixão.

Uma pitada de saudade.

Dê uma colher de chá pra tristeza.

Um samba bom.

Duas taças de vinho.

Misture tudo e

salpique ilusão.

Leve ao coração bem quente.

Não espere muito,

adore!

Dá só uma porção!

terça-feira, 21 de abril de 2009

AMORA

Pirei quando ouvi o teu nome.

Nome de fruta; Amora!

Puta! Que nome, que mina.

Um jeito tão dona e menina.

Namora Amora!

Veste este verso, despe este canto.

Descobre este corpo maldito

que absorve o meu grito

na hora do encanto.

Morde minha veia, chupa meu sangue.

Xinga a vizinha, bebe o meu leite.

Vai na cozinha e pega o azeite.

Não tem? Margarina!

Ai, que mina!

Já chegou pronta.

Passou-se da conta.

Ficou me devendo

e deixou assinado em meu corpo

seu débito, seu cheiro, sua sina.

domingo, 19 de abril de 2009

PURA SACANAGEM

Tu és o nômio fresco da tiez ramalda
deixando as ramas do gentil cinábrio,
nemália branca que o ourelar desfralda
na relva fresca do entoifar calábrio.

És o entravo lírio me adoçando a calda
que hifeniza o bário me deixando ébrio,
qual rifão no nicho arrancando a fralda,
migalhando um lêsmio no portal tenébrio.

Das mãos bainilhas, divelentes, fúmeas,
desfolho garço teus artelhos gáveos,
me levando à nívea anilada e plúmbea.

Teus lábios gázeos de amargar fluídos,
rubejando em grises e tecidos cárneos
grafunham révoas com grulhôes premidos!


NÃO QUER DIZER NADA, MAS IMPRESSIONA!
Tentei metrificar, entendidos que me digam se consegui!
Chaplin

SONETO DE UM AMIGO: HTTP://POETACHAPLIN.BLOGSPOT.COM

terça-feira, 14 de abril de 2009

Fissura

Você é minha religião
meu Brahma, minha skol.
Você é todo esse tesão
que tenho, lhe vendo ao sol.

Você é essa inconstância
no vai e vem do meu pulmão.
Você é toda a exuberância
desta minha ereção.

Você é tudo e mais um pouco,
bola de boliche fugindo da raia.
Você sabe que eu fico louco
com o entremeio dessa saia.

Você sabe que me tem todinho
e eu sei que sou um abobado,
querendo você só minha!
Tô nem aí, pro seu namorado!

segunda-feira, 13 de abril de 2009

segunda-feira, 6 de abril de 2009

A BELA ENDOIDECIDA


Nossa! Meu deus!
Não,não,não!
Engordei dois quilos!
Pareço um balão!
Socorro!Help me!
Academia! Anorexia!
Não como mais!
Nunca mais!
Dedo na goela!
Vômito!
Vou me matar!
Eu odeio essa barriga!
Faca!
Ahhhhhhh!
Sangue!
Minha filha!!!!!!!
Agora....
só... a foto borrada
com lágrima.


Poema Político

Ah! Meu senhor...
Deixa de opulência
pois, que, tua carne gorda
verte indecência.
Teu cargo distinto
não passa em exame.
Teu mau caráter disfarçado
já tem destino certo.
Em tua esmerada aparência
nada é definitivo.
Enganas mais a ti
do que a mim mesmo
Não gostaria de ficar a sós
contigo no deserto,
eu morreria de sede,decerto.
E, se Deus topasse contigo
providenciaria teu decesso.
És pária, filho da culpa!
Distrais os inocentes
e trais teus pares.
Rezo para queimares
na tua única casa
que é o inferno!
Bobo da corte


Morte ao Rei!
Morte ao Rei!
Gritava (já no cesto)
a cabeça guilhotinada
do bobo da corte.
Deixou de ser bobo
logo após a morte.
É... nunca é tarde
para deixar de ser covarde.

quinta-feira, 2 de abril de 2009

A MULHER LAVANDO A JANELA


NUM VAI E VEM INCESSANTE
DE ÁGUA, SABÃO E CALOS,
LIMPAVA A SUJEIRA INSISTENTE
ESSA MULHER QUE EU FALO.

MERO TRABALHO, DIRIA ALGUÉM;
SOBREVIVER É UM DETALHE,
BUSCANDO FORÇAS NO ALÉM,
LIMPANDO VIDRO E TALHE.

GUERREIRA QUE SÓ VENDO!
NO BATE -BATE, GANHA PÃO,
COISAS QUE NÃO ENTENDO...
LAVANDO... A VIDA... EM VÃO...

RISCANDO PISO TETO VIDRO
COM UM SONHO NO CORAÇÃO
LEVANDO A VIDA NO GRITO!
ESTÁ TUDO LIMPO? ACHO QUE NÃO...

quinta-feira, 26 de março de 2009

TERROR


E veio lá do terraço.
Feito pacote pequeno,
tipo caixa de sapatos.
E veio passando janelas
vidas apartamentos;
fotografando amores,
alegrias e lamentos.
E veio e foi tão depressa,
um instante só;
toda uma existência.
Bateu na marquise
e foi um "Boom!!!" aterrador.
Demoliu o segundo andar
e caiu o prédio inteiro.
Morreram todos,
inclusive o terrorista,
coitado!?
Não conseguiu descer do telhado.
Amor te A morte Amor te amor

Tem morte morrida, morte matada.
Tem morte sofrida, morte chorada.
Tem morte furada, morte por nada.
Tem morte contida, morte cantada.

Tem morte bonita, morte maldita.
Tem morte aflita, morte que grita.
Tem morte indecisa, morte que alisa.
Tem morte que é cinza, morte Maisa.

Tem morte que afronta, morte que aponta.
Tem morte que espanta, mortes tantas.
Tem morte chinfrim, morte assim.
Tem morte ruim, morte de mim.

Tem morte que ensina, a vida é uma sina.
Tem morte que canta, a vida é tão bela.
A morte te avisa que a vida é precisa.
A morte nos leva pois a vida é dela.

quarta-feira, 25 de março de 2009

Tipo Assim

Duvido que alguém goste de mim.
Eu, um cara tipo assim...
meio feio,meio pobre, meio cheio
meio baixo, meio... tipo assim

Eu queria aquela guria, tipo assim...
meio boa, meio loira, meio afim
mas ela me olhou... tipo assim
de cima pra baixo, me achou baixo...tipo

um anão, maior esculacho, tipo assim
riu prá caralho, tipo assim... de mim
depois véio, veio com um papo... tipo
porque eu não tinha carro assim, tipo...
último tipo e me vestia mal, tipo assim
um mendigo, escracho total, tipo...
se manca otário! Logo eu, um tipinho assim!!!!!!!!
Em matéria de amor sou o fracasso
mais bem sucedido de que se tem notícia;
sempre me apaixono pela pessoa errada!

sexta-feira, 20 de março de 2009

segunda-feira, 2 de março de 2009

Delírios Podólatras
A mulher perfeita é feita de extremos:
em um extremo uma cabeça inteligente,
no outro um pé lindo e quente.

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

AMA A DOR

Poesia quando vem
sempre encontra
um bobo sonhador.
Pois no amor
todo poeta
é sempre amador.
UMA RAPIDINHA



Ela chegou nervosa
como uma bola procurando vidraça;
saiu calminha
como um anzol esperando um peixe na linha.
AS FÉRIAS DO TUM-TUM


Podes te partir,
pulsante ignorado.
Se queres me ferir,
tum-tum indignado,
muda de lado.
Só porque eu estou
de novo apaixonado
sem a tua permissão?
Como eu ia saber
das tuas férias acumuladas,
meu coração!





RESIDENTE



No hospital do meu coração
o amor é sempre residente.
Não sabe nada do que estuda.
Não ensina nada do que aprende.
A CORDA


Acorda... meu amor!
Concorda... meu amor!
Recorda... meu amor!
Discorda... meu amor!
A corda!!!!
!Meu amor?


terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

SORRATEIRA


Entrastes sorrateira
meio assim de sopetão
e na vez primeira
me roubaste a solidão.

Abristes a geladeira
que era o meu coração.
Te destes toda, inteira.
E eu farto, bobo, babão.

Depois o cansaço... a canseira.
Saciado o tolo... glutão.
Dormi e dei bobeira;
fugistes, linda ilusão.


MORDIDA


Se for preciso
o amor não usa o guizo
e morde sem aviso
o teu coração sonhador.

Mas eu devolvo o teu riso
menina sem juizo,
e a tua dor amenizo
no meu liquidificador.




sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

AI SE O P

Ai! se o “p”
de poesia
fosse o “p”
de porcaria
todo poeta
seria um porco
e nem a porca
o quereria.

SER VIVO


A melhor coisa que pode acontecer
a um ser vivo é:
ele encontrar outro ser vivo
e ficar só tentando fazer outro ser vivo
e ser vivo o bastante pra não conseguir.

LAS PELOTAS

Palavras como:
Puta merda!
Droga! Porra!
sempre vem ao caso
quando dá no saco,
a gangorra.